Lobesia botrana, mariposa da uva


Em vários vinhedos na Europa os viticultores espalham feromônios com a promessa de sexo. Existem vários perfumes para homens e mulheres com feromônios e anúncios falando desses perfumes. Talvez existe essa forma invisível de comunicação química entre seres humanos, e diferentes estudos parecem demonstrar isso. Mas a promessa de reprodução nos vinhedos não é para seres humanos, apenas para uma pequena borboleta noturna. Encontros amorosos dos insetos são dirigidos pelos feromônios. A fêmea da mariposa da uva, lobesia botrana, espalha um cheiro para atrair os machos e copular. A mariposa da uva é comum na Europa, e começa infelizmente a ser vista em outras partes do mundo.  


Essa pequena borboleta noturna é responsável por consideráveis danos nos vinhedos, no seu estado larva. No primeiro estágio a larva ataca as  flores e  frutos novos. O mais severo fica no segundo e terceiro estágios quando penetram no interior das bagas e predispõem a safra a infecções de fungos como a podridão cinza.

Larva de mariposa da uva, foto M. Cooper

A promessa de reprodução na verdade é falsa, os viticultores na verdade enganam as mariposas. Espalhando um cheiro de feromônio fêmeo sintético, os machos de mariposas de uvas ficam confusos e não conseguem encontrar as fêmeas. Os ovos de fêmeas sem parceiros não nascem e o problema é combatido. O custo é mais alto comparado ao inseticida, mas as vantagens são que a interrupção do acasalamento fornece um controle para a temporada toda e é totalmente atóxico para o homem e insetos benéficos.